Sa√ļde VARIANTE BRASILEIRA

Chapecó confirma dois casos da variante brasileira do coronavírus

Foram confirmados até o dia 06 de março em Santa Catarina 17 casos da Variante.

Por Clara Luísa Kessler - Dpto. Jornalismo

08/03/2021 às 10:32:57 - Atualizado h√°
Foto: Agência Petrobras

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES/SC), por meio da Superintend√™ncia de Vigil√Ęncia em Saúde (SUV), confirma a identifica√ß√£o de mais sete casos da Variante de Preocupa√ß√£o (VOC) P.1 do SARS-CoV2, conhecida como a variante brasileira. Dois dos casos foram confirmados em Chapecó, duas mulheres de 31 e 52 anos.

Conforme investiga√ß√£o epidemiológica conduzida pelas Secretarias Municipais de Saúde, desses sete casos, dois s√£o considerados importados, com histórico de viagem para estados da regi√£o norte (Acre), quatro s√£o considerados autóctones (transmiss√£o dentro de Santa Catarina) e um est√° em investiga√ß√£o de local prov√°vel de infec√ß√£o.

Os sete novos casos foram confirmados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/SC) seguindo o fluxo da vigil√Ęncia genômica nacional, o qual encaminhou as amostras para o Laboratório de Refer√™ncia Nacional para Santa Catarina – a Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) do Rio de Janeiro, que realizou o sequenciamento genômico e encaminhou os resultados em 05 de mar√ßo. Os casos s√£o residentes dos seguintes municípios:

– Presidente Getúlio, 30 anos – feminino (importado)

– Presidente Getúlio, 36 anos – masculino (importado)

– Laguna, 32 anos – feminino (autóctone)

– Joinville, 39 anos – masculino (autóctone)

РJoinville, 55 anos Рmasculino (em investigação)

– Chapecó, 31 anos – feminino (autóctone)

– Chapecó, 52 anos – feminino (autóctone)

Com esses sete novos casos, foram confirmados até o dia 06 de mar√ßo em Santa Catarina 17 (dezessete) casos da Variante de Preocupa√ß√£o P.1 em Santa Catarina, sendo 10 (dez) casos importados e 06 (seis) casos autóctones e 01 (um) em investiga√ß√£o de local prov√°vel de infec√ß√£o.

Casos autóctones da variante P.1 confirmados em 02 de mar√ßo:

Joinville, 39 anos – masculino

Camboriú, 68 anos – masculino

Variantes P.1 e B.1.1.7 sequenciadas pela Força Tarefa Covid-19 da UFSC

A equipe da For√ßa Tarefa Covid-19 da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) comunicou à Secretaria de Estado da Saúde (SES/SC) que realizou sequenciamento genômico de mais tr√™s amostras oriundas de pacientes residentes nos municípios de Florianópolis (2) e Jaragu√° do Sul (1). Os resultados do sequenciamento foram comunicados no dia 04 de mar√ßo para a SES/SC, e apontam a identifica√ß√£o da variante P.1 (brasileira) e da variante B.1.1.7 (Reino Unido), sendo essa proveniente de um caso com histórico de viagem para a Europa, podendo ser classificado como um caso importado.

– Florianópolis, 58 anos – Masculino – Variante B.1.1.7 (Reino Unido) – Importado

– Florianópolis, 76 anos – Masculino – Variante P.1 (Brasileira) – autóctone

– Jaragu√° do Sul, 45 anos – Masculino – Variante P.1 (Brasileira) – autóctone

Com mais esses tr√™s casos, j√° chega ao total de 6 amostras de VOC sequenciadas pela equipe da UFSC, sendo que as tr√™s aguardam resultado do sequenciamento sendo realizado pelo Laboratório de Refer√™ncia Nacional (Fiocruz/RJ) para confirma√ß√£o e valida√ß√£o dos resultados. Após a confirma√ß√£o, os resultados passar√£o a fazer parte dos resultados oficiais do estado.

– Florianópolis, 29 anos – Masculino – Variante P.1 (Brasileira) – autóctone

– Florianópolis, 49 anos – Feminino – Variante P.1 (Brasileira) – autóctone

– Florianópolis, 42 anos – Masculino – Variante P.1 (Brasileira) – autóctone

A equipe da Força Tarefa da UFSC desenvolve projeto para sequenciamento do Genoma do SARS-CoV-2 financiado pela Fundação de Amparo a Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), em parceria com a SES/SC, LACEN/SC e a start-up BiomeHub.

Na próxima semana, ser√£o selecionadas 60 amostras das diferentes regi√Ķes do Estado pelo LACEN/SC e DIVE/SC para realiza√ß√£o de sequenciamento na UFSC, considerando indicadores dos testes de RT-qPCR e critérios clínicos como, presen√ßa de comorbidades e desfecho clínico. A partir desta etapa, h√° o interesse na amplia√ß√£o da parceria j√° existente entre a SES/SC e a UFSC, visando ampliar a capacidade de sequenciamento genômico para monitoramento das linhagens e variantes circulantes no estado.

Casos suspeitos da Variante B.1.1.7 (Reino Unido) identificados pelo Laboratório Santa Luzia

No dia 22 de fevereiro, a SES/SC foi informada pelo Laboratório Santa Luzia/DASA da identifica√ß√£o de 16 casos suspeitos de infec√ß√£o pela variante B.1.1.7, conhecida como a variante brit√Ęnica, em residentes da regi√£o da Grande Florianópolis. Esses casos s√£o considerados suspeitos, pois foram identificados por meio de um teste de RT-PCR que identifica altera√ß√Ķes nas proteínas Spike do vírus (s√£o as que sofrem muta√ß√£o e tornam o vírus mais perigoso. Como Santa Catarina ainda n√£o possui confirma√ß√£o de casos autóctones desta variante até o momento, estes casos necessitam ser confirmados pelo método de sequenciamento genômico. Como as amostras estavam de posse do Laboratório DASA em S√£o Paulo, o LACEN/SC organizou o envio de 9 (nove) amostras vi√°veis para a Fiocruz/RJ para realiza√ß√£o de sequenciamento genômico que poder√° confirmar se realmente s√£o casos da variante brit√Ęnica.

No dia 05 de mar√ßo, a SES/SC foi informada pelo Laboratório Santa Luzia da identifica√ß√£o de mais 30 casos suspeitos de infec√ß√£o pela variante B.1.1.7, sendo 29 em residentes da regi√£o da Grande Florianópolis e 01 (um) residente em Joinville.

A Diretoria de Vigil√Ęncia Epidemiológica (DIVE/SC), encaminhou as informa√ß√Ķes para que os municípios complementassem a investiga√ß√£o epidemiológica, identifica√ß√£o do local prov√°vel de infec√ß√£o, rastreamento e monitoramento dos contatos, enquanto aguarda a confirma√ß√£o do laboratório de refer√™ncia nacional se realmente se tratam de casos da variante brit√Ęnica em circula√ß√£o no estado.

Fiocruz detecta muta√ß√£o associada a variantes de preocupa√ß√£o no país

Na quinta-feira, 4, de mar√ßo, a Fiocruz emitiu um comunicado técnico alertando sobre a dispers√£o geogr√°fica das variantes de preocupa√ß√£o pelo país, assim como sua alta preval√™ncia nas tr√™s regi√Ķes do Brasil avaliadas (Sul, Sudeste e Nordeste).

Este comunicado surgiu a partir de um novo protocolo de RT-PCR desenvolvido pela Fiocruz Amazonas capaz de detectar a muta√ß√£o comum em tr√™s das Variantes de Preocupa√ß√£o (P.1 – Brasileira, B.1.1.7 – Brit√Ęnica e B.1.351 – Sul Africana), e que utilizou cerca de mil amostras representativas das tr√™s regi√Ķes do Brasil.

Em Santa Catarina, os pesquisadores identificaram uma preval√™ncia de muta√ß√£o associada às variantes de preocupa√ß√£o de 63,7%, e apontam que "embora o teste seja capaz de detectar uma muta√ß√£o comum a tr√™s variantes de preocupa√ß√£o, h√° indica√ß√Ķes de que a preval√™ncia que est√° sendo observada nos estados esteja associada à P.1, uma vez que as outras duas variantes n√£o t√™m sido detectadas de forma expressiva no território brasileiro".

Essas amostras foram encaminhadas para sequenciamento genômico pelo Laboratório da Fiocruz/RJ, que ir√° confirmar se a propor√ß√£o das Variantes de Preocupa√ß√£o identificadas.

Fonte: ClicRDC
Comunicar erro
Rádio Onda Positiva FM 87.5

© 2021 Rádio Onda Positiva FM 87.5 - Contato: [email protected]
Rua Dourado, S/N Bairro Alvorada Itapiranga/SC - Telefone: (49) 3678-8888

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Rádio Onda Positiva FM 87.5