Secretaria de Educação quer retomar aulas 100% presenciais em Santa Catarina

Cerca de seis mil alunos matriculados não frequentaram as aulas em 2020

Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Foto: Julio Cavalheiro / Secom

A Secretaria da Educação de Santa Catarina quer que as aulas da rede estadual de ensino ocorram somente na modalidade presencial a partir do primeiro semestre de 2022. Desde o dia 18 de fevereiro, quando houve o retorno das aulas, as escolas podem seguir três modelos, conforme protocolos estabelecidos: apenas presencial, misto ou 100% online.

Já para o segundo semestre de 2021, a pasta pretende reduzir o distanciamento dentro das salas de aula, de 1,5 metros para 1 metro, o que permitiria a presença de mais alunos. A proposta foi discutida durante reunião do Grupo de Trabalho da Educação, realizada na última quinta-feira, 15, e será reforçada no encontro marcado para esta quarta-feira, 21, com a Secretaria de Estado da Saúde.

De acordo com o Secretario de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, a redução é possível, pois os percentuais de contaminação e casos suspeitos dentro das unidades são baixos e há uma tendência de queda ainda maior.

Os protocolos sanitários de combate à Covid-19, como o uso da máscara e a higienização, seriam mantidos. "No primeiro semestre houve uma atenção forte aos protocolos de segurança usados na pelos alunos e profissionais da Educação. Essa política de cuidados já está instituída dentro das unidades", afirma Vampiro.

Evasão escolar e aplicação de faltas

O secretário de Educação diz que uma das preocupações, agora, é com o aumento da evasão escolar ocorrido durante a pandemia. Segundo ele, cerca de seis mil alunos matriculados não frequentaram as aulas em 2020, conforme monitoramento do Estado.

Através de uma busca ativa, mais de mil foram localizados e retomaram os estudos em 2021. Contudo, cinco mil permanecem sem estudar. Com esse cenário, o secretário defende a aplicação de faltas aos alunos que não comparecerem às salas de aula no dia que deveriam. Essa medida deve ser adotada já a partir do segundo semestre de 2021.

"No primeiro semestre não havia chamada nas aulas presenciais. Mas, agora quando o aluno tiver que comparecer presencial na escola receberá falta se não for. É preciso resgatar a importância da presença na sala de aula", aponta.

A ideia para o próximo semestre é fortalecer a busca ativa pelos alunos que deixaram os estudos e intensificar a relação entre aluno, escola e professor. No próximo sábado, 24, a pasta deve se reunir com o governador do Estado, Carlos Moisés, para alinhar e definir os procedimentos que serão adotados pela Educação nos próximos meses.