Em um mês, PMSC atendeu mais de 80 chamados diários de violência doméstica

Dados fazem parte de uma a├ž├úo estendida e subsidiada pelo Minist├ęrio da Justi├ža

PMSC atendeu, em média, 80,1 casos de Maria da Penha em apenas um mês - Foto: PMSC/Divulgação

PMSC atendeu, em média, 80,1 casos de Maria da Penha em apenas um mês - Foto: PMSC/Divulgação

Foi divulgado nesta ter├ža-feira, 21, pela PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina), o balan├žo da Opera├ž├úo Maria da Penha, promovida pelo Ministério da Justi├ža e Seguran├ža Pública. A a├ž├úo foi estendida durante um m├¬s e, o resultado, é assustador: 2.403 chamados foram realizados em um intervalo de um m├¬s.

É o efeito da banaliza├ž├úo: em um intervalo de apenas um m├¬s, entre 20 de agosto e 20 de setembro a PMSC atendeu 2.403 chamados referentes a viol├¬ncia doméstica em 272 municípios (Santa Catarina possui 295). Dos atendimentos, foram presos 590 homens, todos eles, pelo crime de viol├¬ncia doméstica.

A a├ž├úo que durou um m├¬s e faz refer├¬ncia ao Agosto Lil├ís, m├¬s de que visa a conscientiza├ž├úo da popula├ž├úo no combate a viol├¬ncia doméstica.

Diferentes institui├ž├Áes nos ├ómbitos federal e estadual desenvolveram a├ž├Áes para qualificar o atendimento às vítimas, refor├žar o cumprimento de medidas protetivas, além de conscientizar a popula├ž├úo sobre a import├óncia de denunciar as agress├Áes.

As medidas protetivas de urg├¬ncia também foram fiscalizadas, sendo 72 pessoas presas por descumprimento de medidas restritivas. Entre todos os procedimentos, mais de 2.600 mulheres foram atendidas pela Polícia Militar.

"O empenho das guarni├ž├Áes que comp├Áem a Patrulha Maria da Penha é fundamental na luta pela redu├ž├úo da viol├¬ncia contra a mulher, seja nas a├ž├Áes preventivas, quanto repressivas desenvolvidas em Santa Catarina", afirmou o comandante-geral da PMSC, coronel Dionei Tonet.