Polícia Federal descobre fraude em auxílio emergencial estimada em R$ 100 mil em SC

Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos na manhã desta quinta-feira, 30.

Foto: Tiago Ghizoni/NSC

Foto: Tiago Ghizoni/NSC

A Polícia Federal descobriu fraudes no auxílio emergencial estimadas em R$ 100 mil que foram aplicadas por criminosos em Joinville. As ações foram identificadas a partir de investigações iniciadas em abril. A Operação Farinha Pouca foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, 30. Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Joinville e um em Balneário Barra do Sul.

A partir de informações encaminhadas pela Base Nacional de Fraudes ao Auxílio Emergencial (BNFAE), a força tarefa entre a PF e a Caixa Econômica Federal identificou que suspeitos estariam praticando o crime para obter o benefício assistencial com nomes e dados de terceiros na maior cidade catarinense.

De acordo com o delegado Oscar Biffi, chefe da delegacia da PF em Joinville, os criminosos se cadastravam no programa usando o nome de outra pessoa para obter o benefício. Em seguida, se passando pelo beneficiado, utilizavam os valores obtidos para pagar contas no comércio local.

Ainda segundo o delegado, a conta do Auxílio Emergencial, gerenciada pela Caixa, dá a possibilidade de pagamento em máquinas de cartão fáceis de encontrar em loja ou mercado, bem como o pagamento de boletos e transferências em lotéricas e bancos. Assim, os infratores se aproveitavam da facilidade de uso para obter benefícios.

Durante as diligências, foram apreendidos dispositivos eletrônicos e de armazenamento, os quais, após autorização judicial, serão analisados a fim de obter mais elementos de prova do crime e eventuais suspeitos ainda não identificados.

O inquérito policial segue em curso e, a princípio, três investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes de furto qualificado mediante fraude e de falsificação de documento público, cujas penas máximas somadas podem chegar a 14 anos de prisão.