Jogador que agrediu árbitro no RS recebe liberdade provisória da Justiça

Ele foi liberado da Penitenciária Estadual de Venâncio Aires

Foto: Reprodução/Diário de Canoas

Foto: Reprodução/Diário de Canoas

A juíza Cristina Junqueira, da Comarca de Venâncio Aires, concedeu liberdade provisória a Willian Cavalheiro Ribeiro, o jogador do São Paulo de Rio Grande que agrediu o árbitro Rodrigo Crivellaro. A violência ocorreu na partida da Divisão de Acesso do Gauchão, nessa segunda, quando o time perdia por 1 a 0 para o Guarani de Venâncio Aires.

A partida que foi interrompida após o caso de violência foi concluída na tarde desta terça-feira, no Estádio Edmundo Feix. O atleta foi desligado pelo clube, após o fato.

Com a decisão, o agressor, que estava na Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva), foi liberado. Representante do Ministério Público (MP) garantiu que irá recorrer da decisão ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS). Assim que o inquérito policial estiver concluído, a Promotoria deve oferecer denúncia contra o agressor.

Na audiência de custódia que definiu a soltura do jogador, o promotor de Justiça, Pedro Rui da Fontoura Porto, pediu o seguimento da detenção, entendendo que o ato foi considerado grave já que houve, segundo as autoridades, tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil.

Willian Ribeiro já possui antecedente criminal, segundo a assessoria de imprensa do São Paulo. O atleta agrediu um torcedor do próprio clube no último dia 6 de setembro. Num primeiro momento, o jogador foi afastado e a direção do clube o reintegrou ao elenco. Desta vez, após a agressão durante o jogo, houve a rescisão definitiva do contrato.

Na tarde da terça, o árbitro Rodrigo Crivellaro prestou depoimento à polícia. Quem apura as circunstâncias da investigação é o delegado Felipe Cano, uma vez que a decisão foi tomada em regime de plantão, primeiramente com prisão em flagrante do jogador.

"Buscamos mais elementos para fundamentar a decisão do delegado anterior, Vinícius Lourenço de Assunção; ou ainda para tomar outra decisão no final do procedimento", declara Cano. O árbitro foi encaminhado ao Departamento Médico Legal para realizar exames médicos para que se aponte a real extensão das lesões sofridas durante o confronto pela Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho.

No seu depoimento, Crivellaro pouco se recorda do acontecimento, já que perdeu a consciência após apresentar um cartão amarelo e posteriormente ser agredido.

"Disse que nunca teve contato com o atleta, portanto o fato ocorreu sem que houvesse desavenças anteriores. Precisamos de embasamentos técnicos e dos médicos para que se possa ter uma noção se estamos diante de uma tentativa de homicídio ou de crime de lesão corporal", observa o delegado.

Foram ouvidas testemunhas como representantes da Federação Gaúcha de Futebol e atletas presentes no embate que terminou com vitória a favor do time da casa.

Os 31 minutos da partida paralisada na noite de segunda-feira foram disputados na tarde desta terça. O Guarani manteve o escore de 1 x 0 e se manteve com chances de classificação na fase eliminatória da Divisão de Acesso gaúcha. O adversário também segue com possibilidades de avançar.