Odonto Top 728X90

A duplicação da 282 só sai com parceria público-privada

Para o candidato, os dados da infraestrutura catarinense falam por si

Por Redação Onda Positiva em 23/09/2022 às 10:24:32

Crédito: Divulgação

O candidato a deputado federal Leandro Sorgatto (MDB/SC) defendeu as pautas da educação e das melhorias urgentes nas rodovias do Estado, principalmente àquelas que cortam o Grande Oeste, em debate realizado na manhã de quinta-feira dia 22 pela R√°dio Centro Oeste, de Pinhalzinho. "Vejo um monte de candidatos defendendo a infraestrutura, duplicação da BR 282 mas ninguém tem a coragem de falar como fazer isso. Minha defesa é clara: é por meio da parceria público-privada, é com concessão. Se demorarmos mais um pouquinho, nem a duplicação vai resolver", afirmou.

Durante o debate, Sorgatto destacou os dados da Federação das Indústrias do Estado de SC (Fiesc), que realiza estudos e monitora as rodovias catarinenses. Em 10 anos foram 135 mil acidentes; 5 mil vidas perdidas e R$ 22 de bilhões em prejuízo. Além disso, um outro estudo do próprio Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) mostra que o mau estado de conservação das rodovias representa um acréscimo de 58% no gasto com combustíveis; 40% a mais no custo com manutenção dos veículos; 50% na elevação de índices de acidentes e 100% no tempo de acréscimo de viagem.

Para o candidato, os dados da infraestrutura catarinense falam por si. "Eu defendo a concessão público-privada das principais rodovias da nossa região, como uma forma de acelerar o desenvolvimento, porque, por exemplo, nós não temos nem projeto da duplicação da BR 282. Além, claro, de salvar a vida das pessoas", destacou, j√° que Santa Catarina é o segundo maior estado em quantidade de acidentes, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) feita em conjunto com a PRF.

EDUCAÇÃO - Como fundador de uma das maiores instituições de ensino superior do Oeste de Santa Catarina, a UCEFF, Sorgatto também falou sobre a import√Ęncia da educação. "É a base da sociedade e o ensino técnico, que j√° formou tantos cidadãos, precisa ser valorizado. Espero estar na Comissão de Educação para discutir e trazer uma nova proposta para o Brasil", pontuou.

Para Sorgatto, a principal mudança precisa começar na educação b√°sica. "Nossas crianças t√™m uma outra viv√™ncia de mundo, são outras necessidades. A tecnologia é muito importante, mas o professor ainda é o condutor da construção desse conhecimento dentro da sala de aula. Precisamos de políticas públicas que incentivem a formação os nossos professores, para que depois os jovens consigam ter uma visão empreendedora, de inovação, de sucessão familiar e, por consequ√™ncia, teremos um Estado e um Brasil melhor",

SISTEMA TRIBUT√ĀRIO - Para Sorgatto, também é preciso rever o sistema tribut√°rio brasileiro, que é "antigo e perverso" e prejudica a produção de Santa Catarina. "Nosso sistema tribut√°rio est√° focado na produção e não na renda. Nosso país é caro, o governo, de forma histórica, gasta e gasta mal. Eu acredito que é preciso uma grande reforma tribut√°ria, para que o trabalhador, para quem produz possa ter renda, gerando assim um movimento econômico mais seguro e equilibrado", pontuou.

Sorgatto, que concorre pela primeira vez a um cargo público, disse ainda que aceitou o desafio de concorrer a deputado federal, porque acredita que a política catarinense precisa de novas lideranças comprometidas com as causas do Estado e do Brasil. Para ele, o momento proporcionado pela R√°dio Centro Oeste foi muito importante. "O debate quando bem feito, no nível que foi hoje, favorece o eleitor, porque ele passa a ter subsídios para decidir o seu voto de forma consciente", enalteceu ao agradecer o convite.

Fonte: Jornalista Divaléia Casagrande

Comunicar erro
Lassberg

Coment√°rios

Pneu A